19 de jan de 2017

Resenha: O Detetive Parker Pyne - Agatha Christie

Agatha Christie, a Rainha do Crime, produziu os melhores e mais vendidos romances policiais de todos os tempos. E a maioria deles tem como centro, além, é claro, da trama propriamente dita, as figuras do astuto detetive belga Hercule Poirot ou da singela porém espertíssima Miss Jane Marple. Mas sua imaginação fértil não poderia ficar limitada a apenas dois. Ao lado de aventuras vividas pelo casal Tommy e Tuppence Beresford e de outros, Dame Agatho escreveu, em 1932, estas doze aventuras do simpático detetive Parker Pyne. De estilo pouco ortodoxo, corpulento mas não gordo, com uma calvície nobre e bem proporcionada, olhinhos brilhantes por trás das grossas lentes, ele é uma pessoa que inspira confiança e que se vangloria de sempre fazer alguém feliz. Assim, lidando com esposas de meia-idade, maridos desgostosos, milionárias entediadas e até com o oráculo de Delfos, Parker Pyne nos encanta tanto quanto seus colegas mais famosos.

Autora: Agatha Christie
Editora: Galera Record
Classificação: 3.5 de 5 estrelas
Ano: 1987  
Páginas: 187



Agatha Christie mais uma vez me presenteando com ótimas história de suspense policial. Dessa vez temos como nosso personagem principal o detetive Parker Pyne.

Parker Pyne tem seu próprio escritório e um anúncio no jornal que diz:


"Você é feliz? Se não for, consulte o sr. Parker Pyne na rua Richmond, 17."

A partir daí nós temos seis casos de pessoas que procuram Parker Pyne por acharem que não são felizes o suficiente e seis casos que acontecem enquanto ele está viajando de férias.

Irei contar um pouco de alguns dos casos presentes no livro.

No caso 2 somos apresentados à um soldado que está em Londres, porém não se habituou ao lugar por ser muito calmo, ele gosta de ação e de se envolver em perigo, assim como ele faz nos campos de guerra. Parker Pyne cria um caso em que uma moça aparece para ele pois seu advogado lhe disse que seu falecido pai deixou uma herança para ela, só que ela teria que achar um mapa que seu pai escondeu. Por um acaso o soldado acha essa moça  sendo encurralada em lugar por dois ladrões que querem o mapa e então ele a ajuda e parte para trajetória de tentar achar o que aquele mapa esconde. 

No caso 3 nós temos a Sra. St John, que ao visitar a casa de um casal de amigos com o seu marido, Naomi, uma mulher muito rica e dona do lugar, pediu para ela quando voltasse para a sua residência, que fosse numa joalheria e consertasse seu anel de diamantes que soltou o engaste. Como Daphne estava muito endivida, pediu para criarem uma cópia idêntica ao anel verdadeiro e entregarem na casa dela. Daphne vendeu o anel e pagou as dívidas que tinha. Mas após uma tia sua morrer e deixar para ela uma boa herança, ela compra o anel de volta e quer devolver aos donos, e claro, quer a ajuda de Parker Pyne para fazer isso.

O caso 6 é o caso da sra. Abner Rymer, que ficou milionária após seu marido morrer e ela toma posse de todo o dinheiro e empresas dele. Só que apesar de ter bastante dinheiro, ela já comprou tudo o que queria na vida dela, e agora não tem mais nada para fazer, então recorre a Parker Pyne para ajuda-la a arrumar uma coisa que ela possa comprar e que faça valer a pena. 

O caso 12 conta a história de uma mulher e seu filho que estão na Grécia por causa que ele, Willard, gosta bastante de antiguidades, então vive viajando para lugares históricos juntamente com a mãe. Só que ele é sequestrado e mandam uma carta para a mulher dizendo que ela terá que pagar uma quantia em dinheiro para que soltem o filho dela novamente. Esse caso foi o melhor do livro, pois Parker Pyne não foi escolhido ou escolheu participar desse caso, ele praticamente foi obrigado a se envolver.

Não irei falar de todos os contos pois o livro tem vários. Foi minha primeira experiência com o detetive Parker Pyne e eu gostei bastante, com certeza futuramente desejo ler outros livros da autora em que ele esteja presente. 

Apesar de ter gostado da maioria dos contos, achei alguns bem fraquinhos e a história não me convenceu. Apesar do livro ser bem antigo e a linguagem bem diferente, a narrativa da autora é maravilhosa e fluiu perfeitamente, como sempre, Agatha dando um show.

Por um milagre, eu consegui acertar o final de um dos casos em que ocorre um assassinato, eu premeditei o culpado e acabei acertando. Fiquei bem feliz, pois isso não ocorre com frequência em um livro da Agatha, haha.

Encontrei o livro baratinho em um sebo, foi apenas 4 reais e apesar de seu estado não muito conservado, valeu muito a pena, não me arrependo nem um pouco.

Fica a dica para quem gosta de um livro com contos curtinhos e do gênero suspense policial, Agatha Christie mais uma vez me proporcionou ótimas horas de boa leitura.







7 comentários:

  1. Olá! Que bom que gostou da sua primeira experiência com o detetive Parker Pyne. Que pena que você acho uns contos bem fraquinho, mas que bom que gostou da maioria. Legal você ter acertado quem era o assassino. Nossa apenas 4 reais? Foi barato mesmo, que máximo! Beijos'

    ResponderExcluir
  2. Eu sou fascinada pelos livros da autora, já li tantos livros que mas ainda continuo me surpreendendo quando releio. esse eu li já fazem muitos anos e lembro muito pouco. Gostei de relembrar aqui na sua resenha e de saber que você curtiu a leitura

    ResponderExcluir
  3. Ainda não li nada da Agatha Christie.
    Lembro de ter lido metade de um livro dela na escola e gostar muito da história, mas ficou por ai. Tenho que rever isto na minha vida. hihi
    tenho uma amiga que é fissurada pelos livros dela.

    Achei o livro resenhado bem interessante, também adoro tentar adivinhar as coisas antes de elas acontecerem. Parabéns por ter descoberto um dos culpados, creio que nos livros da autora tudo é muito bem definido e difícil de descobrir.

    http://vicioseliteratura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi, tudo bem?
    Só li um livro da Agatha e tenho vários aqui para ler.
    Não conhecia este e gostei muito da premissa dele!!
    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Agatha é uma das minhas autoras favoritas!li este livro a muitos anos atrás e tbm acertei alguns casos e alguns achei fracos mas nada q me impedisse de continuar a leitura e achei um livro bom pelo tempo q foi edcrito

    ResponderExcluir
  6. Oie

    Eu adoro Agatha Christie, comecei minha vida literária com ela. Mas sabe que apesar de já ter lido vários livros, ainda não li nenhum de conto. Vou experimentar esse, fiquei curiosa.

    bjs
    Fernanda Y.

    ResponderExcluir
  7. OOi!
    Não sou fã de contos, mas como morro de vontade de ler algo da autora, e as premissas são boas, acho que arriscaria. Sua resenha me deixou com vontade de conhecê-los.
    Dica anotada!
    Beijoos!

    ResponderExcluir