29 de nov de 2015

Resenha: O Que Me Disseram As Flores - Alane Brito

Presa a uma promessa feita por seu pai, Ângela decide desafiá-lo a aceitar que não é vontade dela se casar com alguém que conhecia apenas através de cartas. Deixando-se levar por uma mentira, William viaja até a prometida, acreditando encontrar uma moça tão apaixonada quanto ele. Entretanto, depara-se com a força da raiva de alguém com quem sonhava passar o resto de sua vida. Por conta do grande amor que aprendeu a nutrir por ela, decide, então, lutar para conquistá-la. Usando a linguagem das flores para se declarar e, cada dia, se revestindo de uma força descomunal para suportar as palavras afiadas e suas duras atitudes, ele tenta encontrar uma maneira de fazer com que o ódio, que ela tanto demonstra sentir, se transforme em algo bom, mas para isso ele mesmo precisa continuar acreditando que é possível... Um grande amor é realmente capaz de suportar tudo? Conheça a emocionante história de duas pessoas numa mesma batalha, mas que lutam por desfechos diferentes. E que vença o mais obstinado.

Autor: Alane Brito
Editora: Arwen
      Classificação: 4 de 5 estrelas
Ano: 2015
Páginas: 392

No ano de 1912, quando Santiago juntamente com seu amigo Afonso avista Elisa dentro da igreja se apaixona no primeiro instante. Ambos apaixonados um pelo outro e já com o casamento marcado, Santiago não se esquece de seu companheiro e acabam fechando uma promessa, seus filhos se casarão se eles tiverem a sorte de ter um menino e uma menina.

O destino acaba contribuindo a favor deles, Elisa tem uma menina chamada Ângela e Fernanda, a mulher de Afonso, tem um menino chamado William. 

Os dois tem plena consciência sobre essa promessa e sempre a respeitaram, só que com o passar do tempo com William morando longe e ela morando na fazenda com seus pais, só a troca de cartas não basta e o sentimento que Ângela tinha por ele vai se esvaecendo

Ângela acaba se apaixonando por Felipe, irmão de sua melhor amiga Lilian, o sentimento é recíproco, mas assim que Felipe fica sabendo da promessa, dá lugar para William, pois sabe que Santiago nunca dará a liberdade para Ângela namorar com ele.  

Ela tenta de todos os jeitos avisar para William que não irá mais seguir com a promessa, mas seu pai acaba extraviando suas cartas e escrevendo em seu nome, então William não tem a mínima noção de que quando voltar para a fazenda encontrará uma Ângela enfurecida e que estará disposta a fazer tudo para que ele vá embora.

Ângela faz William de gato e sapato e a cada oportunidade tenta fazer algo de ruim para ele, confesso que só me simpatizei com ela nas 30 ou 40 páginas finais do livro, no resto eu fiquei com um ódio eterno dela, e até pensei que seria impossível gostar dela, mas por um milagre consegui o fazer no final.

William eu não tenho nada para reclamar, além de sua beleza, o homem é gentil, carinhoso, atencioso e todas as outras qualidades boas que um homem possa ter, simplesmente foi amor a primeira vista. Confesso que senti pena dele o livro todo, não merecia nem um pouco do desprezo da Ângela.

Ao decorrer do livro aparece vários personagens, mas o que mais marcou foi Leonardo, um rapaz que Ângela conheceu em um baile, e para fazer ciúmes em William, acabou por dançar com ele. Depois eles por acaso se encontram em uma loja e a partir daí Leonardo passa a frequentar a casa de Ângela, de início Santiago e Elisa acham que ele frequenta apenas para ter a amizade de Ângela, mas quando descobrem que ele, na verdade, é apaixonado por ela, passam a tomar as providências necessárias a respeito. Eu sinceramente odiei este personagem, a cada vez que ele aparecia eu ficava com mais raiva, juntava ele e a Ângela e eu quase parava a leitura, dois sem noção junto, mas Leonardo conseguiu se superar.

Lembrando que só conhecemos a história desses personagens por causa de Raquel, que no tempo atual, é obrigada a se mudar do Rio de Janeiro para a fazenda, por ordem de seus pais. Ela começa a explorar a casa e acaba por encontrar o diário em que Ângela escrevia antigamente.

Em um todo, O Que Me Disseram As Flores foi uma experiência maravilhosa, o livro me trouxe um turbilhão de sentimentos diferentes e isso foi ótimo, estava esperando um livro que me despertasse tantas emoções. 
Alane arrasou na história, completamente incrível, não pecou em nada, só tenho que parabeniza-la por isso. 
A editora Arwen também arrasou na diagramação, no tamanho da letra, e na capa, consegui ler em meu tablet sem nenhum problema.

Enfim, já deu pra ver que super recomendo esse romance histórico para todos, né?!

Beijo,
Ana Caroline
  

 

12 comentários:

  1. Olá!

    Romance histórico não é muito minha praia, mas, se a trama se passasse nos dias atuais, daria uma ótima novela mexicana! hahaha

    resenhaeoutrascoisas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Que bela história, hahaha. Pena que você demorou tanto para sentir simpatia pela protagonista. Acho que eu também me sentiria com raiva dela. Mas entendo que, naquela época, um casamento só não acontecia se o homem decidisse não seguir em frente. A mulher não tinha voz e, no caso da Ângela, imagino que ela tenha tentado de tudo para que William desistisse dela. Enfim, curti e espero ler!

    Beijos!
    http://www.myqueenside.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. oi!!
    Gente que romance incrível. Um verdadeiro romance de época, gostei dessa promessa da história, acaba deixando o livro bem interessante.

    Beijinhos, Helana ♥
    In The Sky, Blog / Facebook In The Sky

    ResponderExcluir
  4. Ana Caroline, amo romances de época e histórico. E talvez por isso desse uma chance a leitura.
    Pelo que andei lendo achei a Ângela um porre e talvez me irritasse muito com ela durante a leitura, mas quem sabe.

    Lisossomos

    ResponderExcluir
  5. Olá :D
    Vi esse livro no catálogo da Arwen e não o solicitei por medo de ser uma estória bobinha mas me enganei. Gostei bastante da resenha.
    Abraço
    http://interessantedeler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oi, tudo bem?

    Gostei bastante da resenha, mas não estou em um momento para ler livros desse tipo. Quem sabe em um futuro possa ler.

    Beijos,
    http://quotesperdidos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Fico meio com um pé atrás com romances históricos de autores contemporâneos, já tentei ler vários e pouquíssimos me agradaram logo quase não leio mais. COm cereteza não lerei esse mas o fato de você ter elogiado tanto até me bateu uma curiosidade. Bjs

    ResponderExcluir
  8. Olá Ana Carolina.
    Confesso que os romances históricos são os que mais me agradam, costumo trocar qualquer coisa por eles kkkk Me identifiquei bastante com esse, um pena você ter contado tanto, pq me senti sabendo tudo, talvez eu mal tenha surpresas :(
    Parabéns pelo blog!
    bjsss
    http://umavidaliteraria1.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. nossa, amei a sua resenha e esse livro parecer ser maravilhoso e lindo ♥ sem contar essa capa né! adorei o seu blog e estou seguindo, poderia seguir de volta? ♥ http://www.dearmaidy.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Olá!
    Hoje li uma resenha bem diferente da sua, eu adoro quando leio várias opiniões isso me deixa super curiosa. Há tempo quero ler algo da Alane Brito, mas acabo adiando. Coitado do Willian é tão pisado mas tá ali querendo mudar a situação. Essa capa está linda, muito bem feita! Espero ler em breve!

    Beijos!
    http://lovesbooksandcupcakes.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. Oi Aninha! <3
    Não sei se é um livro que eu leria HAHA detesto quando um personagem é maltratado desnecessariamente e essa raiva acaba sendo direcionada para o livro kkkk Não curti a capa também, então não seria algo que chamaria minha atenção, no entanto, fico contente que a leitura tenha te agradado.

    Beijo,
    Mari Siqueira
    http://loveloversblog.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Romances históricos não é o meu gênero favorito, mas recentemente tenho tido a oportunidade de ler maravilhosos livros do gênero. Já estou acrescentando esse a minha lista, a sua resenha me deixou bem motivada e espero gostar quando tiver a oportunidade.

    Beijos,
    Miih e o Mundo Literário

    ResponderExcluir