19 de dez de 2016

Resenha: O Lado Bom de Ser Traída - Sue Hecker

Bárbara é uma profissional de sucesso. Noiva há cinco anos de Caio, um empresário no ramo de telecomunicações, sua vida é completa e plena. Porém, ao ver uma foto dele ao lado de uma mulher que se intitula também sua noiva, o mundo de Bárbara desmorona. Decidida a não se entregar à decepção, ela resolve dar a volta por cima. Com o visual renovado, começa a adotar outras posturas, afastando de vez a depressão. Para a sua surpresa, o destino coloca em sua vida Marco, um juiz extremamente sexy. Bastou um olhar para que ambos fossem tomados por uma alucinante tensão sexual. Resta saber se, de fato, Bárbara mudou o suficiente para se entregar sem amarras.
Autora: Sue Hecker
Editora: Harper Collins
Classificação: 4 de 5 estrelas  
Ano: 2016 
Páginas: 530
 


O Lado Bom de Ser Traída nos apresenta Bárbara Nucci que acaba de descobrir pelo facebook que depois de cinco anos e estando noiva, foi traída por Caio, mas não foi só isso, Caio também estava noivo de Nicole, mantinha dois noivados ao mesmo tempo.

Juntamente com seu sócio Thiago, Bárbara, ou Babby, mantém um escritório de contabilidade. Depois de passar pela bad, ela volta a ser a Babby de antes, só que agora não quer saber de amor tão cedo. Thiago pede para Babby acompanhar um cliente importante durante uma audiência, e claro, ela não irá recusar. O problema é quando ela entra na sala e vê o juíz.

Marco um juíz muito bem sucedido, depois de seu casamento com Paula, uma advogada patricinha, mimada e sustentada pelos pais, ele não quer tão cedo abrir seu coração para ninguém. Fruto desse romance nasceu Vitória, porém, a criança tem uma anencefalia e por isso os médicos falaram que ela poderia morrer poucos dias após o parto, ou até mesmo não nascer. Paula durante toda a gestação rejeita a filha, ainda mais após saber que ela carrega um "monstro", como ela diz, dentro da barriga, o ódio dela é tanto que ela tenta várias vezes abortar, sem sucesso. 

Depois Marco enxerga que está casado com uma megera, sucessivamente ele se divorcia dela e se tranca na questão de relacionamentos, sua vida é dedicada apenas para sua filha, que já está com 9 meses, porém, internada no hospital desde que nasceu por não ter coordenação e seus órgãos não funcionarem direito, e também para o seu trabalho, que faz com muita dedicação. 

Duas pessoas que não querem relacionamento por causa do trauma de seus envolvimentos anteriores juntas dentro de uma sala, a atração é imediata, os caminhos estão constantemente se cruzando, porém nenhum dos dois dá o braço a torcer.

O Lado Bom de Ser Traída é um livro bem volumoso que eu fiquei pensando "como que um livro de romance hot tem tantas páginas? Com certeza deve ser aqueles clichezão que cansam antes mesmo de chegar na metade do livro." Mas acabei me enganando, apesar de sim, ser um livro de romance, a autora conseguiu mesclar romance, drama, suspense e ação nesse livro, o que me surpreendeu bastante.

A cada página que se passava eu ficava querendo mais, Bárbara e Marco não é aquele tipo de casal que fica de mimimi e brigas, apesar de Marco ser um personagem muito ciumento e demonstrar isso, Bárbara é uma personagem madura que consegue contornar a situação. 

O livro é narrado por vários personagens presentes no livro: Bárbara, Marco, Patty, Paula, Caio, Nicolle, Thiago e até Rafaela, a babá de Vitória, que tem uma paixão pelo chefe, entre outros. Por conta disto, conhecemos mais sobre todos os personagens e seus pontos de vista no desenrolar da história. 

Não posso deixar de falar da Paula, que personagem insuportável, apesar de gostar de conhecer mais sobre ela, ficava incrédula durante a leitura pela personagem ser tão mesquinha e sem coração. Senti falta de um capítulo final para ela depois de tudo que ocorreu em sua trajetória, assim como senti também falta de um final para a história de Rafaela, que também é uma personagem irritante por conta da sua paixão por Marco, ainda mais depois que ela vê que ele está com Babby, ela se faz de a pobre coitada que quer se vingar. Espero que a autora lance um livro falando mais sobre a história dessas duas personagens. 
Caio apesar de sua burrice em trair Babby, eu senti uma ponta de pena dele quando ele ia atrás dela e tentava se redimir, mas ele acabou colhendo o que plantou. 
Babby e Marco são personagens que eu não tenho nada a reclamar, gostei de ambos e achei maravilhosa a sintonia dos dois. Assim como os pais dos dois, a família deles está constantemente presente e, principalmente a mãe de Babby, me arrancou boas risadas.
Patty, a melhor amiga de Babby, que também está constantemente presente no livro, é a personagem que finge que não ama ninguém, aquele que pega e não se apega, apesar de ver que ela foi um pouco forçada nessa parte, gostei bastante dela e estou ansiosa para ler o livro que conta a história dela, o Sr. G.

Estão presentes no livro muuuuitas cenas de sexo, e as cenas são extremamente detalhadas, então quem não gosta de livros do tipo, não é recomendado ler O Lado Bom de Ser Traída.

Apesar do número de páginas do livro, você lê, lê, lê e quando vai ver já acabou e você vai estar pedindo mais, então não se assustem como eu e deliciem-se com essa maravilhosa leitura. 

O exemplar que a autora me cedeu não é da edição da HarperCollins, é um um exemplar que a autora lançou independente, então, não é a mesma capa, mas muda poucas coisas. Esse é o primeiro livro da série Mosaico, que já contém quatro livros publicados. 

Espero que tenham gostado da resenha e de saber mais sobre o livro. Futuramente pretendo trazer uma entrevista com a autora para ficarmos sabendo mais a respeito da série e dos livros.




16 comentários:

  1. Oi Ana,

    Tenho gostado bastante dos lançamentos da Harper, e acredito que com esse não vai ser diferente, já coloquei aqui na lista :D

    Bjs,

    Tiago Valente hhtp://avidalida.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Eu gosto bastante do gênero e ao mesmo tempo em que eu tenho curiosidade com esse livro eu tenho um certo receio com a leitura. Gostei da sua resenha e espero que eu goste do livro quando for lê-lo

    ResponderExcluir
  3. Olá Ana, tudo bem?

    Eu não conhecia a obra e a autora, esse é um gênero (romance hot) que eu particularmente não curto. Apesar dessa edição ser independente, achei a capa bem trabalhada, bem legal. Fico contente que tenha gostado da leitura, achei sua resenha muito boa, está de parabéns. De qualquer forma obrigado pela dica, vou acompanhar suas próximas resenhas.
    Bjus

    ResponderExcluir
  4. OOI!
    Parece ser um livro bem recheado em conteúdo, pois como você disse, a autora trabalho com outros gêneros além do romance. O que é ótimo pois torna a leitura ainda mais envolvente, na minha opinião.
    Gostei da premissa do livro, e seus comentários me animaram. Dica anotada!
    Beijoos!

    ResponderExcluir
  5. Tenho esse livro no meu Kindle mas ainda não peguei pra ler.
    Adoro esse gênero e vou aproveitar as férias pra por algumas leituras pendentes em dia.
    Adorei a resenha.

    ResponderExcluir
  6. Menina, no início da tua resenha tive a mesma impressão que você ao pegar o livro pela primeira vez: deve ser um clichezão! Mas se você diz que ele traz outros temas com uma boa abordagem, que bom que funcionou para você, a mim, não chamou muita atenção.
    Bjss

    ResponderExcluir
  7. nusss Acredito quando diz que não é clichê, até pelo lado dramático que o enredo contém, e é bem pesado, já peguei ódio da tal Paula. Acho que nesse tipo de livro, é preciso realmente dosar as coisas para envolver o leitor e humanizar os personagens. Adorei a resenha.

    *☆* Atraentemente *☆*

    ResponderExcluir
  8. Oi Ana! ^^
    Depois da sua resenha até fui conferir quantas páginas esse livro tem, e realmente é bastante, mas se há mais do que romance podemos compreender! :D Estou de olho nesse livro e quero muito ler ele, alias ultimamente ando muito interessada em vários livros da Harper!
    Já vi a outra capa desse livro e muda muita pouca coisa mesmo!

    ResponderExcluir
  9. Oi. eu gosto muito de livro erótico, mas não com essa abordagem. O livro me fez lembrar os de banca que li quando era adolescente, lá pelos 15 anos, coisa que já não me satisfaz enquanto leitora, não me vejo mais como o público alvo.

    ResponderExcluir
  10. Oiii Ana, tudo bem?
    Infelizmente dessa vez o livro não despertou meu interesse, são poucas páginas, mas achei o título bem sem graça. Ótima resenha linda.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  11. Olá =) Que bom que você gostou do livro, que não caiu naquele clichê que cansa e que a autora sobre colocar um pouco de cada gênero. História narrada por vários personagens é bom para ter uma visão maior. Gostei da sua resenha, mas passo a dica pois não gosto de romance hot. Beijos'

    ResponderExcluir
  12. Gostei da ideia do livros ser narrado por diversos personagens, acho que até por essa fato, a obra ficou maior. O fato de ter vários elementos além do romance em si, me agrada. Vou anotar a dica.
    Bjim!
    Tammy

    ResponderExcluir
  13. Olá, tudo bem? Estou para ler esse livro faz muito tempo e de fato o número de páginas assusta hahaha que bom que você pontuou que não é só romance. Gostei também bastante dos outros assuntos abordados e da narrativa passar por vários personagens. Já quero (;
    Beijos,
    http://diariasleituras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  14. Oie,

    O que achei mais legal foi o número de páginas. Eu leria facilmente, principalmente por trabalhar outras coisas que não seja apenas romance. Vou dar uma conferida no preço do livro.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  15. Por ser hot eu não tinha a mínima vontade de ler e você mudou isso! Obrigada! Amei a resenha!

    ResponderExcluir
  16. Obrigada pelo carinho. Adorei a resenha. Criei uma história que pudesse conter os ingredientes que tornam um livro completamente envolvente, para que o leitor não tenha vontade de parar de ler. Há romance, suspense, ação, aventura, paixão, sexo, humor, doçura, humanidade, caridade e muito amor. Abordei, também, sim, alguns temas polêmicos, como a anencefalia, por exemplo, que fiz questão de pesquisar a fundo, em fontes médicas e em histórias reais de famílias que tiveram crianças portadoras dessa patologia, que viveram por anos.
    Além do romance, quis dar visibilidade a ações humanitárias e caridosas, não limitando a história, exclusivamente, ao amor, sexo e acontecimentos relacionados ao casal principal. E acredito que esse é um diferencial que enriquece muito a estória, isto é, o de dar vozes, sentimentos e vida a coisas muito importantes como solidariedade, respeito, ética, caráter e caridade. Procurei, ainda, de forma leve e sem fugir da trama, mostrar a ambiguidade dos sentimentos humanos, sendo que a redenção de alguns personagens foi um grande desafio, muitas vezes surpreendente, pois todos nós temos sempre o lado bom e o negativo, sendo que o importante, no final, é saber reconhecer que tudo é possível e que podemos aprender com os erros. Mas, claro, não faltam muitas cenas recheadas de um humor muito leve e gostoso, fazendo com que muitas gargalhadas brotem, sem querer, durante a leitura.
    E nem por isso o romance deixa de ser quente e de ter muita paixão e sexo no desenrolar da história. Há cenas de emoções muito fortes, que são tão intensas, que o leitor, certamente, sentirá as fortes sensações que dominam o personagem que estiver a narrar.
    Por fim, também há momentos extremamente enternecedores e de pura doçura, mais especificamente aqueles voltados a uma “linda estrelinha”. Esta pequena personagem tem uma magia que faz com que seja impossível resistir ao seu brilho!
    E, apesar de, num primeiro momento, o título poder levar o leitor desavisado a indagar se existe algum “lado bom em ser traída?!?!?”, após a leitura, será possível compreender bem o que pretendi com esse nome..

    ResponderExcluir